carnaval

Os protagonistas do carnaval brasileiro são, sem sombra de dúvida, as escolas de samba. A arte dos desfiles está presente nos carros alegóricos, na dança, etc. Mas como seria sambar se não houver uma bateria? Muitos não sabem, mas montar uma bateria para o samba não é tarefa fácil.

A bateria da escola de samba é composta normalmente por 12 instrumentos e cada um tem uma aplicação distinta.

O surdo de primeira é o maior surdo e é ele que faz a base e dá o andamento principal do samba. É por eles que os puxadores se guiam para manter-se no tempo. Em geral, sua afinação é mais aguda do que os surdos de resposta. O surdo de segunda serve para dar a resposta, dando sustentação durante os intervalos feitos pelo de primeira. O surdo de terceira também serve de resposta e fica entre os dois anteriores, quebrando a dureza da marcação.

O que gera o som característico das escolas é a caixa. Ela é sempre tocada com duas baquetas e marca o andamento, porém se diferencia com "floreios" que os surdos não permitem. O repique é a resposta à caixa. Um dos seus usos mais comuns é como um tipo de senha que marca a volta de todos os instrumentos depois das pausas.

O chocalho é um instrumento de apoio que ajuda a caixa a dar o swing e a leveza do samba. Costuma aparecer mais nos refrãos e pode ficar sem ser tocado por passagens inteiras.

Bateria de escola de samba

Outro instrumento muito importante para o "desenho" do samba é o tamborim, pois os surdos e a caixa fazem uma marcação mais contínua e ele realiza as diferentes bossas do estilo. Já o chocalho pode possuir até mesmo diretores específicos para comandar os subgrupos.

Alguns instrumentos como a cuíca, o agogô e o reco-reco são usados para dar tons mais melódicos à bateria, deixando a música mais agradável. Outros como o prato, embora tenham sua importância para o ritmo, são usados mais como alegorias na frente da bateria e são pouco tocados durante o desfile.

 

Os especialistas afirmam que não há uma característica especifica que possa definir a batida das escolas. Mudanças contínuas, de ano para ano, na afinação, andamento e formação são importantes e contribuem para que cada escola tenha sua própria essência.

Fonte: http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/musica/2010/02/12/238964-veja-como-funciona-a-bateria-de-uma-escola-de-samba